Por ocasião do Dia internacional em memória das vítimas do Holocausto, Portugal afirmou no Conselho Permanente que manter a memória viva é crucial para evitar a repetição dos crimes hediondos da ideologia nazi.  Portugal recordou também os atos de coragem, resistência e de humanidade, incluindo os de portugueses como Aristides Sousa Mendes, que livraram da morte milhares de judeus e de outras vítimas do nazismo.

  • Partilhe